Código Internacional Federação Internacional de Jornalistas

Declaração de Princípios para a conduta dos jornalistas

(Tradução sujeita a revisão)

Adotado pelo 2° Congresso Mundial da Federação Internacional de Jornalistas, em Bordeaux, em 25-28 abril 1954, e emendado pelo 18° Congresso Mundial da FIJ, em Helsink, em 2-6 junho 1986.

Esta Declaração internacional é proclamada como um padrão de conduta profissional para jornalistas empenhados em coletar, transmitir, publicar e comentar notícia e informação e em descrever acontecimentos.

1. Respeito à verdade e ao direito do público à verdade é o primeiro dever do jornalista.

2. No exercício deste dever, o jornalista há de defender os princípios de liberdade na apuração e publicação honesta das notícias, e o direito a comentário e crítica.

3. O jornalista somente informará de acordo com fatos cuja origem ele conhece. O jornalista não suprimirá informação essencial nem usará documentos falsificados.

4. O jornalista só usará métodos justos para obter notícias, fotografias e documentos.

5. O jornalista fará o extremo para retificar qualquer informação publicada que for comprovada como perniciosamente incorreta.

6. O jornalista guardará segredo profissional da fonte de informação obtida em confiança.

7. O jornalista estará ciente do perigo de a imprensa promover discriminação, e fará o extremo para evitar discriminação baseada, entre outras coisas, em raça, sexo, orientação sexual, linguagem, religião, ou opiniões políticas e origens nacionais ou sociais.

8. O jornalista considerará como graves delitos profissionais o seguinte:

n Plágio
n deturpação maliciosa
n calúnia, injúria, difamação, acusações infundadas
n suborno, em qualquer forma, em troca de publicação ou omissão de notícias.

9. Jornalistas dignos desse nome considerarão como de seu dever observar fielmente os princípios declarados acima. Dentro da lei geral de cada país, o jornalista reconhecerá, em questões profissionais, exclusivamente a jurisdição de seus colegas e recusará a interferência do governo.

Outros códigos de ética