Edição e versão Edição e versão

Os jornais deveriam indicar aos leitores que edição eles estão lendo e se em determinada página uma notícia foi trocada por outra, mais correta ou atualizada — troca ainda chamada, na era da informática, de segundo clichê. Dos grandes jornais brasileiros, só a Folha e o Estadão indicam para que lugares é destinada a edição, e, no caso da Folha, pioneira na indicação, o leitor também é informado do horário em que entrou a última notícia. "Edição São Paulo/DF*Concluída às 22h30", informa, por exemplo, o maior jornal do país. "Edição São Paulo", diz o Estadão no seu maior reparte, destinado aos 220 mil assinantes na capital paulista. No domingo, a Folha publica as manchetes da semana, com indicação das que entraram em segundo clichê. Antigamente, sobretudo os vespertinos indicavam ao menos qual era a rodada, como fica claro no samba Ronda de Paulo Vanzolini: "Vai dar na primeira edição".

Em geral, a edição destinada à cidade-sede do jornal é a mais completa, com notícias mais recentes e acuradas, pois é o reparte enviado aos assinantes. Indicar as diferentes edições e as páginas onde foram trocadas notícias seria uma demonstração de transparência, e de fácil execução — tão fácil quanto a minudência, adotada por todos, de informar o preço do exemplar em diversas regiões e cidades do país.

Índice