Instituto Gutenberg



História

Karl Marx, editorialista


Karl Marx (1818-1883), a inteligência mais poderosa do século XIX, foi um jornalista de grande valia. Começou a se projetar num pequeno jornal alemão, o Deutsche Jahrbücher, onde era triturado pela censura prussiana. Sua maior produção foi, no entanto, para um jornal americano, o New York Daily Tribune, para o qual, em colaboração com o parceiro Friedrich Engels, escreveu 487 artigos - dos quais 125 saíram da pena de Engels mas levaram a assinatura de Marx. O editor era Charles Dana (1819-1879), um jovem idealista que, à frente do Tribune, opunha-se à pena de morte e à escravidão, e forjou a mais famosa definição de notícia: "Quando um cachorro morde um homem, isso não é notícia. Se um homem morde um cachorro, isso é notícia." Dana apreciava tanto os artigos de Marx que sacava trechos para publicar na forma de editoriais na 1ª página.

Os temas prediletos do correspondente eram a Alemanha e a Inglaterra, além, naturalmente, da Rússia, país que detestava e esculachava. Também escrevia muito sobre o papel civilizador do capitalismo. "A Inglaterra tem uma dupla missão na Índia: uma destrutiva, a outra regeneradora - a aniquilação da antiga sociedade asiática e o lançamento dos fundamentos materiais da sociedade ocidental na Ásia", escreveu no Tribune o autor do Manifesto Comunista.


©Instituto Gutenberg
Boletim Nº 33 Série eletrônica
Julho-Agosto de 2000

  Índice

igutenberg@igutenberg.org


Jornal dos Jornais
Textos da coluna do Instituto Gutenberg na revista Jornal dos Jornais - nº 16 - Julho de 2000