Instituto Gutenberg

Exterior

Calúnia doída

Tribunal americano impõe indenização de US$ 2,5 milhões

O jornal The Capital, de Anápolis, no estado americano de Maryland, foi condenado a pagar 2,5 milhões de dólares ao advogado John R. Greiber Jr. pelo crime de calúnia. A novidade do processo é singular: uma das testemunhas do ofendido era Melinda H. Rice, ex-repórter do Capital, que saiu justamente porque se negara a escrever um editorial com informações sabidamente falsas sobre o advogado.

Com esta decisão, a justiça americana mantém de pé sua postura de ao mesmo tempo proteger a liberdade de imprensa e garantir aos cidadãos a reparação de danos causados pelos abusos de jornais e de jornalistas. Celebridades altivas não hesitam em cobrar caro da mídia que lhes causa danos. O ator Clint Eastwood, por exemplo, já ganhou 1 milhão de dólares do jornal sensacionalista Nacional Enquirir ao provar que uma reportagem fora inventada. "Eastwood aos 63 anos: ser pai mudou minha vida", publicou o jornal, em 1993, mas o ator reclamou que era ficção pura. Outro ator, Dustin Hoffman, embolsou 3 milhões de dólares da revista Los Angeles, que forjou uma foto em que o ator de Tootsie aparecia vestido de mulher, fazendo propaganda de produtos de marcas famosas.

Tudo se encaixa no jogo democrático, ou seja, ninguém reclama que a liberdade de imprensa esteja ameaçada, nos Estados Unidos, por causa das indenizações milionárias concedidas pela Justiça. Em contrapartida, no Brasil, como não nos cansamos de dizer, só quem recebe indenizações milionárias é a ... imprensa. A maior paga até hoje num processo de que fazia parte uma empresa jornalística alcançou o montante de R$ 220,8 milhões, e adivinhe quem pagou? O povo, é claro. Foi a bolada paga aos Diários Associados pela União, em 1997, por conta do fechamento arbitrário da TV Rádio Clube do Recife, em 1980.


©Instituto Gutenberg
Boletim Nº 32 Série eletrônica
Maio-Junho de 2000

  Índice

igutenberg@igutenberg.org


Jornal dos Jornais
Textos da coluna do Instituto Gutenberg na revista Jornal dos Jornais - nº 14 - Maio de 2000

Leia mais:
Sentença não é notícia