Instituto Gutenberg

Causo

A luz apagou


Jornalistas novatos, os focas, tradicionalmente eram recebidos com um trote. Telefonemas falsos, missões impossíveis, pegar a calandra (pesada máquina de prensar chapas) na oficina eram formas de batizar os jovens repórteres. Mas houve uma modalidade de trote particularmente original e divertida, praticada na redação do venerável Estadão dos anos 40.
No fragor do fechamento, quando muita gente batia a maquina, falava alto ao telefone, chefes berravam ordens, de repente a luz apagava. Mas todos continuavam a fazer exatamente o que estavam fazendo. Exceto o foca, que parava de trabalhar, perdido na escuridão, até dar um grito de pavor: "Estou cego".


©Instituto Gutenberg
Boletim Nº 31 Série eletrônica
Março-Abril de 2000

  Índice

igutenberg@igutenberg.org


Jornal dos Jornais
Textos da coluna do Instituto Gutenberg na revista Jornal dos Jornais - nº 12 - Março de 2000