E, de exclusivo e exagero Instituto Gutenberg
logojj.gif - 14,47 K

Dicionário

E, de exclusivo e exagero


Quando alguém vai ao médico, faz uma consulta exclusiva? Quem teria a desfaçatez de chamar exclusiva a consulta ao renomado clínico cuja agenda está lotada e a sala de espera, repleta? A imprensa insiste em destacar como exclusiva toda e qualquer entrevista feita com a fonte mais disponível, desde que o repórter tenha conversado em separado com o entrevistado. O carimbo "Exclusivo" na reportagem resvala para a fraude, pois sugere que somente aquele meio de comunicação teve acesso ao entrevistado ou as informações que ele passou.

É prática rotineira e generalizada, mas, para registrar o exemplo, tome-se o Jornal do Brasil, que entrevistou a atriz pornô Grace Quek a propósito de uma maratona sexual com 251 homens em apenas dez horas. Depois de transcrever as declarações, o redator acrescentou: "...contou Grace em entrevista exclusiva ao Jornal do Brasil, por telefone, de sua casa em Los Angeles." Exclusividade não é, definitivamente, um atributo da Sra. Quek.


©Instituto Gutenberg
Boletim Nº 29 Série eletrônica
Novembro-Dezembro, 1999

  Índice

igutenberg@igutenberg.org


Jornal dos Jornais
Textos da coluna do Instituto Gutenberg na revista Jornal dos Jornais - nº 8 - Novembro de 1999