A "morte" de Sartre Instituto Gutenberg
logojj.gif - 14,47 K

Causo


A "morte" de Sartre


São comuns os trotes que jornalistas passam em jornalistas e terminam nas páginas como uma reluzente barriga – notícia falsa publicada com boa-fé. Um trote de repercussão internacional foi passado pelo repórter Floriano Jayme em seu próprio jornal, a Tribuna da Imprensa. Nos anos 60, o repórter passava férias em sua cidade natal, Belém, quando lá também estava o casal de intelectuais franceses Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir.
O telefone era precário, mas o serviço telegráfico da companhia americana Western funcionava bem. Jayme despachou seu torpedo: “Sartre morto atropelado Belém”. A Tribuna publicou. No dia seguinte, o editor, ninguém menos que Carlos Lacerda, queria um cadáver, e o do repórter era o preferido.
©Instituto Gutenberg
Boletim Nº 27 Série eletrônica
Julho-Agosto, 1999

  Índice

igutenberg@igutenberg.org


Jornal dos Jornais
Textos da coluna do Instituto Gutenberg na revista Jornal dos Jornais - nº 4 - Julho de 1999