V de vão e voltam Instituto Gutenberg
logojj.gif - 14,47 K

Dicionário


V de vão e voltam


Talvez este seja um alerta vão, uma advertência vã, mas os recentes cuidados que os meios de comunicação passaram a ter com o idioma ainda não foram capazes de impedir a monótona repetição de um erro crasso. O adjetivo vão, no sentido de inútil, baldado, frustrado, continua a ser usado de forma irritante. O erro vai e volta. “O esforço foi em vão”, “a tentativa foi em vão” é o que se lê e ouve. O certo é “o esforço foi vão”, “a tentativa foi vã”, “trabalhou em vão” – ou seja, não logrou o objetivo. O Aurélio dá o exemplo num verso de Ronald de Carvalho: “Guarda o que tens, fechado em tua mão, / Pois só há desenganos e pesares / Na sombra triste deste mundo vão ...”
©Instituto Gutenberg
Boletim Nº 26 Série eletrônica
Maio-Junho, 1999

  Índice

igutenberg@igutenberg.org


Jornal dos Jornais
Textos da coluna do Instituto Gutenberg na revista Jornal dos Jornais - nº 3 - Maio de 1999

Leia mais:
Colunismo - A doença infantil do jornalismo