Instituto Gutenberg


O cerco da lei I

Governo primeiro bisbilhotou e depois é que notificou repórter sobre a conta de telefone

Atualização
O caso do Departamento de Justiça com o repórter John Solomon é mais cabeludo do que se sabia até aqui. Na verdade, o FBI bisbilhotou as contas do telefone residencial do repórter já em maio passado, logo depois que ele divulgou uma reportagem acusando funcionários do governo de terem grampeado, clandestinamente, em 1996, conversas do senador Robert Torricelli.

Só que o FBI não notificou Solomon disso na ocasião, mas, apenas, no final de agosto, e de forma marota: mandou-lhe uma intimação de que as contas seriam examinadas, quando elas já estavam nas mãos das autoridades. O governo disse que desejava identificar qual fonte passou ao repórter as informações sobre o grampo ilegal no telefone do senador Torricelli.

O presidente da AP, agência de notícias em que Solomon trabalha, Louis D. Boccardi, reagiu duramente. Em carta ao procurador-geral John Ashcroft, pediu explicações sobre o comportamento “repreensível” do Departamento de Justiça.
12/9/2001

©Instituto Gutenberg

  Índice

igutenberg@igutenberg.org

















Artigos Relacionados:

O cerco da lei